Vítima de violência machista, vereadora tem microfone arrancado em sessão na Câmara (ver vídeo)

Reprodução/Twitter

A vereadora Katyane Leite (PTB-MA) foi vítima de machismo durante uma sessão na Câmara Municipal de Pedreiras, no Maranhão, ao ter seu microfone arrancado pelo vereador Emanuel Nascimento (PL-MA). Em vídeo divulgado nas redes sociais, eles discutem sobre um assunto quando a parlamentar afirma que não “ficaria batendo boca” com ele. Nesse momento, Emanuel se levanta e tira o microfone dela, que pega o da colega ao lado e denuncia: “Violência política”, até ter novamente o objeto arrancado pelo parlamentar.

Em publicação nas redes sociais, Katyane denunciou o ocorrido e disse que tomará todas as medidas cabíveis. “Agrediu-me e, de modo sorrateiro e machista, violou todas as prerrogativas funcionais garantidas a uma parlamentar, quebrando o decoro e censurando com violência o que há de mais sagrado dentro de um parlamento, que é a liberdade de se expressar e defender seus ideais”, escreveu.

“Não aceitarei que um representante do povo use seu cargo para constranger, agredir e menosprezar seus pares”, afirmou. A parlamentar disse, ainda, que “a cultura machista deve ser aniquilada, pois já não é mais aceita no mundo de hoje”. “Não aceitarei essa imoralidade”, continuou.

Cristã, Katyane compartilhou, inclusive, uma mensagem de apoio da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves. “Assisti à cena e o que eu vi foi uma violência política contra uma parlamentar. Estou cansada de ver parlamentares na tribuna sendo chamadas de loucas, malucas, desequilibradas. O que vi hoje é um absurdo (…) vamos exigir respeito às nossas parlamentares”, diz a ministra em vídeo. Vale lembrar que o governo Bolsonaro registrou o menor investimento em programas de políticas para as mulheres desde 2015. Atualmente, a Secretaria de Políticas Nacionais para Mulheres é vinculada ao ministério de Damares.