“Vou estudar medidas duras com a possibilidade, inclusive, de demissão imediata”, diz Artur Neto insatisfeito com protestos de servidores

Protesto artur 1

No final da leitura de sua Mensagem Anual, na abertura dos trabalhos legislativos da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o prefeito Artur Neto (PDSB), insatisfeito com as manifestações de servidores públicos municipais do lado de fora do plenário, anunciou que iria sair da Câmara e ir para seu gabinete “estudar medidas duras com a possibilidade de demissão imediata” dos funcionários da Prefeitura.

O prefeito desqualificou os atos de protesto dos servidores contra a sua administração dizendo se tratar de “uma minoria” e que nem seriam funcionários da prefeitura realmente eram. “Se fossem professores, eu aceitaria com um sorriso nos lábios, se fossem técnicos da Saúde, receberia com muita tranquilidade”, argumentou o prefeito.

Protesto artur 2Assim como foi anunciado pelo Radar, os guardas municipais também fizeram manifestação em frente à Câmara Municipal de Manaus em protesto, segundo eles, por péssimas condições de trabalho, desrespeito a direitos trabalhistas, como por exemplo adicional noturno, e assédio moral por parte das chefias da Casa Militar e da Guarda Metropolitana.

O prefeito disse considerar a manifestação dos guardas municipais como quebra de hierarquia. “E quebra de hierarquia, por mim, deve ser punida”, decretou Artur Neto, distante do tom de diplomata. (Any Margareth)

Protesto artur 3