Weintraub ignora incômodo de bolsonaristas e estende giro por SP

Getty

O ex-ministro Abraham Weintraub (Educação) pretende estender seu giro pelo interior do estado de São Paulo até o final deste mês, pelo menos.

Ele tem dito que quer testar a aceitação de seu nome junto ao eleitorado de direita para uma possível candidatura a governador.

A movimentação tem incomodado aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL), que preferem o ministro Tarcísio Freitas (Infraestrutura) para a disputa do Palácio do Bandeirantes.

A agenda inicial de Weintraub previa visitas a 18 cidades até segunda-feira (24), terminando em um evento feito por um grupo conservador em Ribeirão Preto (SP). O tour poderá ser estendido também para Presidente Prudente, Marília, Bauru e cidades do litoral de São Paulo.

O ex-ministro quer visitar prefeitos, vereadores, empresários, ativistas e produtores rurais locais. Ele tem buscado se apresentar como um verdadeiro conservador e não um candidato do centrão, uma indireta a Tarcísio, que deve se filiar ao PL, um dos principais integrantes desse grupo.

Na última segunda-feira (17), o ex-ministro participou de uma live em que fez críticas à aliança do presidente como centrão.
Weintraub tem conversas adiantadas para se filiar ao PTB, junto com seu irmão Arthur, que o acompanha no roteiro e poderá ser candidato a deputado federal ou estadual.

Segundo dirigentes petebistas no estado, o partido não está apoiando a viagem financeiramente nem em termos logísticos, até porque os irmãos Weintraub não são filiados à legenda.

“O ‘road show’ dele [Weintraub] já estava planejado, é ele que está bancando as despesas. O PTB não está envolvido nisso, mas poderá ajudar futuramente, caso ele se filie”, diz Otávio Fakhoury, presidente estadual da legenda.

O ex-ministro tem viajado com uma equipe de apoiadores. Segundo uma pessoa próxima, ele pediu uma licença do Banco Mundial, em Washington (EUA), onde trabalha.