Wilker Barreto pede união entre Assembleias durante Parlamento Amazônico

Ao debater temas importantes nesta quinta-feira (30), durante a XIII Reunião Ampliada do Colegiado de Deputados do Parlamento Amazônico, na cidade de Rio Branco (AC), o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) comentou que o Parlamento Amazônico é uma grande oportunidade para somar ideias e contribuir para o fortalecimento da defesa da Amazônia. O deputado destacou, ainda, sobre a importância do Legislativo em fiscalizar os investimentos feitos pela União, principalmente as Parcerias Público-Privadas (PPP) no âmbito estadual.

Segundo Wilker Barreto, que também é presidente da Comissão de Indústria, Comércio e Zona Franca de Manaus e membro da Comissão da Geodiversidade, Recursos Hídricos, Minas, Gás, Energia e Saneamento na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), diversas alternativas logísticas para a região foram apresentadas no evento que reuniu diversas autoridades das esferas municipais, estaduais, federais e especialistas do setor na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac).

“Fiquei muito feliz em saber que tanto o Amazonas quanto os nossos estados vizinhos estejam inteiramente ligados e focados na preservação e na busca de melhorias da nossa Amazônia. Saio daqui satisfeito porque, de forma conjunta, formamos soluções para o aprimoramento do acesso à nossa região”, disse ao ressaltar que as Assembleias precisam estar vocacionadas sobre o que pode legislar a nível estadual. “Tudo que debatemos aqui tem que remeter à bancada federal. O Parlamento Amazônico tem o papel fundamental de unir as Casas Legislativas”, completou.

Ainda de acordo com Wilker, é fundamental que as leis possam ser bem elaboradas para destravar, bem como colaborar com a economia. Assim, é possível somar com as empresas, com o comércio em geral, e principalmente contribuir com a geração de emprego e renda através do combate a violência e as drogas.

“Eu acredito no combate a violência e as drogas através de uma matriz única, que é de emprego e renda. Isso sim é combater as principais mazelas de um Estado. E podemos dar condições para isso ao elaborar leis pertinentes, bem planejadas e que causam impacto positivo à economia, resolvendo entraves específicos. Para isso, é necessário interação das Casas Legislativas, pois neste diálogo podemos ter um cenário ampliado das necessidades e possíveis resoluções de cada estado”, disse.

Reunião

O Parlamento Amazônico é formado pelos nove estados que compõem a Amazônia Legal, sendo eles Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Juntos, os estados se unem para discutir e propor ações para o desenvolvimento da Amazônia Legal e assim articular possíveis soluções, buscando o desenvolvimento econômico e sustentável.

Com informações da assessoria