Wilker Barreto quer discutir alto preço da gasolina com ANP, Sindipetro e Defensoria na Aleam

Foto: João Paulo Castro/Radar Amazônico

Desde o último sábado (9), a população amazonense está pagando cerca de R$ 6,29 por litro da gasolina. A alta no preço do combustível foi criticada pelo deputado Wilker Barreto – que pretende levar à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o Sindicato dos Petroleiros do Estado do Amazonas (Sindipetro/AM) e a Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM). O objetivo é discutir a composição do valor cobrado pelos postos.

“Temos que chamar aqui as distribuidoras, sindicato dos postos, ANP e Defensoria para entendermos, em nome da sociedade, essa questão do Preço Médio Ponderado a Consumidor Final (PMPF). Por isso, estou propondo essa reunião para debruçarmos e entendermos como é essa fórmula do preço, precisamos investigar a questão dos combustíveis, que está insuportável”, disse Wilker, que ingressou com um requerimento de convite, em caráter de urgência.

CPI da gasolina

Barreto sugeriu, ainda, a criação de uma nova “CPI da Gasolina” na Casa Legislativa, caso não fique clara a explicação sobre o novo reajuste no preço do combustível.

“E aí se não ficar claro para esta Casa, eu defendo o instrumento jurídico da CPI, mas não aquela primeira que foi florzinha, tanto que no relatório final não constou nem o ICMS do Governo. A questão do combustível precisa ser uma pauta comum desta Casa”, ressaltou o deputado.

Reajuste

Conforme o anúncio da Petrobras, o preço médio da gasolina nas refinarias passou de R$ 2,78 para R$ 2,98 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,20 por litro. Para o GLP, o preço médio passará de R$ 3,60 para R$ 3,86 por kg, equivalente a R$ 50,15 por botijão de 13kg, refletindo reajuste médio de R$ 0,26 por kg.

Outro fator que faz encarecer o produto é o ICMS. No Amazonas, atualmente, a alíquota do imposto para os combustíveis está em 25%, resultando na variação do preço da gasolina de R$ 6,15 a R$ 6,30 em Manaus. Deste valor é cobrado R$ 1,575 de ICMS, o que poderia diminuir para até 4,73 o litro.

*Com informações da assessoria