“Wilson Lima agravou a situação da Saúde no Amazonas”, afirma Wilker

Foto: Joel Arthur.

O deputado estadual Wilker Barreto (PHS) afirmou, nesta quinta-feira (7), que o governador Wilson Lima (PSC) agravou o caos na Saúde Pública no Amazonas após cancelar 135 pregões no dia 7 de janeiro, sendo que desses um total de 70 eram referentes a Saúde.

“Eu não posso dizer que o governador Wilson Lima é o responsável pelo caos, mas posso afirmar que ele e o vice-governador agravaram a situação. A Saúde precisa ter uma grande reformulação. O Governo está reinventado a administração moderna, pois no dia 7 de janeiro foram cancelados 135 pregões eletrônicos, desses 70 eram da área da saúde e cinco eram referentes a fios de sutura, algo que foi cobrado ontem (quarta-feira, 06) pelo cirurgião vascular Luís Cláudio Lima no plantão do Pronto-Socorro Platão Araújo. No dia 29 do mesmo mês, o Governo realiza um ´desrevogamento´ (invalidação) e torna sem efeito os pregões”, disse Wilker.

Segundo o parlamentar, as ações errôneas e contínuas em relação aos contratos da Saúde configuram a falta de conhecimento da máquina pública. “Como é que você cancela pregão eletrônico, para depois revogar o Diário Oficial e, posteriormente, comprar direto. A vida não espera neste intervalo, pois são 22 dias do cancelamento até a invalidação. Isso é ato de quem desconhece o ordenamento da máquina pública, é o despreparo com a coisa pública”.

Para Wilker Barreto, o caminho sugerido ao Governo é a reforma administrativa, juntamente com o enxugamento da máquina pública. “Eu fiz um apelo ao governador. Faça um realinhamento, chame os fornecedores, explique a situação, assuma o compromisso de pagar em dia e peça a diminuição dos valores dos contratos. A diminuição do custeio é o caminho, enxugar a máquina e diminuir os cargos comissionados”, sugeriu Wilker Barreto.

Denúncia

Em seu discurso no plenário, Wilker Barreto ainda fez questão de alertar o líder do Governo, Carlos Bessa (PV) e a Comissão de Saúde, presidida pela deputada Mayara Pinheiro (PP), da problemática vivenciada no interior do Amazonas. De acordo com o parlamentar, as prefeituras não estão conseguindo encaminhar pacientes para os principais hospitais da capital.

“Quero aqui denunciar que as prefeituras não estão conseguindo internar os pacientes com altas complexidades na cidade de Manaus. Tem irmãos nossos do interior morrendo, mesmo a prefeitura querendo pagar a UTI aérea. Não é omissão das prefeituras, como foi o caso de Santa Isabel do Rio Negro, que recebeu a resposta que o João Lúcio não tinha leito. É falta de opção”, denunciou Barreto.

Com informações da assessoria do parlamentar.