Wilson Lima anuncia pelas redes sociais que testou positivo para Covid-19

Foto: Reprodução

O governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou pelas redes sociais nesta quinta-feira (13), que testou positivo para Covid-19 e disse, ainda, que está bem de saúde, mas vai seguir todas as recomendações médicas.

“A partir de hoje estou em isolamento, inclusive aqui dentro de casa. Vou ficar despachando com meus secretários e mantendo alguma reuniões por videoconferência e aproveito aqui a oportunidade para repassar as orientações dos profissionais de saúde de usar máscara, álcool em gel, manter o isolamento social, e ficar em casa se puder”, disse o governador

Relaxamento no combate ao coronavírus

O governador se contradiz ao pedir para pessoas ficarem em casa justamente na semana em que  autorizou o retornos das atividades escolares presenciais na rede de Ensino estadual.

Ironia do destino, ou não, o governador se contaminou justamente quando a classe dos professores, incansavelmente, dia após dia, vem alertando a população e as autoridades quanto ao alto risco de contaminação por Covid-19, nas escolas públicas.

O Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas de Manaus (Asprom Sindical), instalou uma greve por tempo indeterminado para garantir a segurança dos profissionais da área.

“Eles estarão protegidos e abrigados pelo instituto da greve, agora nenhum professor é obrigado a se dirigir às escolas de Manaus”, disse o coordenador da Asprom, Lambert Melo.

Profissionais da educação infectados

Nesta semana, três professores descobriram que estavam infectados pela Covid-19 pagando os exames pelo próprio bolso. Os profissionais estavam lotados em escolas da zona Norte de Manaus.

A comunidade escolar ficou preocupada com a notícia pelo fato dos professores terem participado da jornada pedagógica, que reuniu profissionais para fazer o planejamento do retorno presencial.

Segundo Lambert mesmo diante do risco de contaminação aos demais profissionais, nada foi feito.

“O correto a ser feito era evitar que essas pessoas que tiveram contato com os professores tivessem contato com outros alunos, mas até agora nenhuma decisão foi tomada. Os professores só souberam que estavam contaminados porque, por vontade própria, decidiram fazer o exame” disse Lambert.