Wilson Lima apresenta propostas para dinamizar economia do Estado

Os candidatos da coligação “Transformação por um novo Amazonas” participaram, nesta quarta-feira (29), de reunião promovida pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL Manaus) e Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Amazonas (FCDL-AM) para apresentar o plano de governo com destaque especial para as propostas de dinamização da economia.

O candidato ao governo do Estado, Wilson Lima (PSC), salientou que a sua plataforma de trabalho está alicerçada na reestruturação, no primeiro momento, dos recursos humanos a partir do mapeamento dos servidores e comissionados. “Enquanto vários setores da economia carecem de mão de obra, o Estado tem excessos inexplicáveis. Na Casa Civil, há 500 pessoas lotadas. Se todas fossem trabalhar no mesmo dia, não haveria espaço. Enquanto isso falta policiais, professores, médicos. Na saúde, o controle dos funcionários ainda acontece em pastas de papel. Estamos em pelo século XXI. As informações precisam estar alimentadas em bancos de dados que permitam a consulta a qualquer momento. Além disso, os sistemas devem conversar. Isso permitiria, por exemplo, deslocar servidores de onde há excesso para outra unidade ou departamento que carece de funcionários”, exemplificou.

Após a reestruturação, o candidato garantiu que a receita será alinhada a despesa. O Estado do Amazonas prevê orçamento de R$ 15,8 bilhões, no entanto, já autorizou despesas que superam R$ 17 bilhões. Wilson Lima enfatizou que os gastos devem ser contidos para inverter estatísticas danosas. De janeiro a julho deste ano, segundo dados da Junta Comercial do Amazonas, 1.236 empresas encerraram as atividades no Estado. O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) contabiliza 241 mil desempregados em 2018.

“Como nosso governo não tem amarras, formaremos uma equipe eminentemente técnica, que ouvirá a sociedade, em especial, os setores produtivos para identificar os gargalos do desenvolvimento e eliminá-los. No interior, por exemplo, focaremos em três pilares: eletrificação, infraestrutura como implantação e recuperação de vicinais, assim como regularização fundiária a fim de descentralizar o setor produtivo, que se encontra concentrado 82% na capital. Nossa política fiscal e tributária baseia-se numa análise racional de que setores o Estado pode contribuir para o impulsionamento a partir da desoneração de tributos sem perdas que inviabilizem a manutenção dos serviços essenciais como saúde e educação. A Afeam direcionará seu raio de ação para o estímulo à implantação de empresas transformadoras como fábricas de sucos para gerar mais renda para produtores como os de abacaxi, que registram recordes de produção, mas tem dificuldades para encontrar compradores do fruto in natura”, pontuou o candidato do PSC.

O presidente Ralph Assayag entregou uma carta aos candidatos Wilson Lima (PSC), Carlos Almeida (PRTB) e Luiz Castro (REDE) contendo demandas emergenciais do comércio como a participação da CDL Manaus em conselhos importantes como o da Seplan e Sefaz, a desoneração de itens essenciais para alavancar o comércio, a eliminação da taxa de R$ 50 sobre notas fiscais de produtos que chegam ao Estado via correios e o estímulo para projetos consagrados como o Liquida Manaus e Black Friday que movimentaram a economia em período de crise, geraram receita para o Estado e empregaram centenas de pessoas.

Matéria de responsabilidade da assessoria do candidato.