Wilson Lima e A Crítica transformam Festival de Parintins em festinha privada

Um dos maiores espetáculos do planeta, o Festival de Parintins, uma manifestação artística do nosso povo e a demonstração maior do talento do caboclo amazonense virou evento privado do governador Wilson Lima e de seus eternos patrões da Rede Calderaro Comunicação onde só pode entrar quem eles bem entendem.

O esquema imposto por eles para transitar no bumbódromo é humilhante para a imprensa local. Nesta segunda-feira (13) fiquei sabendo de jornalistas que tiveram a credencial negada pela TV A Crítica que detém o chamado direito de arena e, pelo que se vê, também se acha no direito de determinar quem é bem-vindo ou não a Parintins.

Os colegas jornalistas que tiveram o credenciamento negado pela À Crítica estavam “correndo atrás” – utilizando palavras deles mesmos – de alguém na Amazonastur para pedir favor e ver se conseguem credencial. Mas a humilhação não para por aí.

 Jogaram os profissionais de comunicação num “fosso”, um espaço apertado, entre a arena onde os bumbás se apresentam e as arquibancadas. Wilson decidiu dar aos jornalistas um tratamento parecido com o de Messias Bolsonaro, numa versão pior, já que Bolsonaro colocou jornalista em cercadinho e Wilson no “fosso” que mais parece aquele corredor aonde o boi vai pro abate.

Na terra do boi-bumbá, a imprensa do Amazonas está sendo tratada pior que gado – logicamente que não estamos falando de radialistas, blogueiros e gente do gênero que até dá chilique brigando pelo governador e nem aqueles que mentem descaradamente. Esses vão ficar no camarote com Wilson Lima.

 E, vale lembrar, que esse tratamento está sendo dado pra quem eles chamam de “imprensa parceira” do governo de Wilson Lima – com um governo amigo como esse quem precisa de inimigo?

E se eles tratam assim quem está do lado deles, que dirá quem está contra. O cabucão Abdias, mano lá de Parintins, com mais de 20 anos animando a galera do festival, foi expulso de uma festa que é dele, que é nossa, é do povo do Amazonas.

Mas, num tem nada não! Wilson vai ver o que a nossa tribo é capaz de fazer com quem vem de pavulagem pro nosso lado. Vai ser expulso com sua reculhamba na base do tacape, não só da festa, mas da nossa terra.