Wilson Lima fecha bares, flutuantes e casas noturnas, mas mantém aulas presenciais nas escolas estaduais

Foto: Reprodução/Manaus

Tendo em vista o aumento número de casos de covid- 19 no Amazonas, o Governador Wilson Lima, anunciou, através de transmissão nas redes sociais oficiais do Governo, na manhã desta quinta-feira (24), um novo decreto que restabelece as medidas de restrição contra propagação do novo coronavírus. As medidas preveem o fechamento de bares, praias, casas de show e flutuantes, mas ainda mantém as atividades presenciais na rede estadual de ensino. A decisão ainda será publicada no Diário Oficial do Estado.

De acordo com Wilson Lima, o aumento dos casos no Amazonas é resultado do relaxamento das medidas de segurança sanitária, realizados principalmente pelas classes A e B, com a realização de eventos, festas que possibilitam aglomerações. Ele insiste em dizer que o aumentos dos casos de Covid-19 não está relacionado ao retorno de professores e alunos para as salas de aula.

“Só no último fim de semana fechamos dois estabelecimentos com mais de 7 mil pessoas. Um com 4 mil e outro com mais de 3 mil. E é isso que tem causado esse aumento. São atitudes que não condizem com aquelas orientações das autoridades de saúde para evitar a contaminação pela Covid. Não é o retorno das aulas que está promovendo essa contaminação”, afirmou.

Durante o pronunciamento, o governador afirmou que manterá o retorno gradual das aulas presenciais nas escolas da rede estadual de ensino e ressaltou que a retomada das aulas do ensino fundamental serão realizadas a partir de outubro. De acordo com ele, a prioridade são os alunos.

” Eu não vou deixar baladas abertas e escolas fechadas. Não podemos punir os alunos do ensino público”, afirmou.

Além disso, Wilson Lima também anunciou que serão retomados o atendimento em seis unidades dos Centros de Atenção Integral à Criança a partir do dia 1º de outubro e dois centros de atendimento ao idoso, que fazem parte do grupo de risco.

Casos de Covid-19 durante voltas aulas

Apesar de Wilson Lima se dizer preocupado com a educação estadual, o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus, a Asprom Sindical, aponta que desde o retorno das aulas presenciais, mais de 2000 professores já foram contaminados pelo novo coronavírus e desenvolveram a Covid-19. De acordo com ele, a classe de educadores segue tentando dialogar com o poder executivo, mas é ignorada.