Wilson Lima gasta mais com publicidade do que com Auxílio Estadual, denuncia deputado

Valor gasto com publicidade em 2020 seria suficiente para garantir dois meses de auxílio para mais de 400 mil famílias

Foto: Reprodução / Defesa Civil do AM

O Radar Amazônico vem mostrando há meses, os contratos milionários do governo de Wilson Lima (PSC) com publicidade e propaganda, enquanto outras áreas como a educação e saúde sofrem com precariedade e má gestão de recursos públicos.

O descaso com o dinheiro público se tornou pauta na sessão plenária da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) desta quarta-feira (03). O deputado Dermilson Chagas (Podemos) destacou que os gastos de Wilson Lima com publicidade são maiores do que com o Auxílio Estadual Permanente, que tem o objetivo de socorrer financeiramente famílias em situação de vulnerabilidade social.

Em 2020, os gastos da Secretaria de Comunicação Social (Secom) com publicidade e propaganda superaram a marca dos R$ 122 milhões. O valor seria suficiente para pagar dois meses de Auxílio Estadual de R$ 150 para 400 mil famílias amazonenses.

Dermilson denunciou que esses gastos vêm desde o início da gestão de Wilson Lima.

“Em 2019, o gasto com propaganda foi de R$ 68,7 milhões. Em 2020, foram R$ 122,6 milhões, e, neste ano, ele já empenhou mais de R$ 126 milhões e pagou mais de R$ 107 milhões, batendo todos os recordes históricos de gastos com propaganda”, argumentou Dermilson Chagas.

Ampliação do auxílio

Desde que a pandemia iniciou no Amazonas, o deputado Dermilson Chagas vem defendendo a utilização de recursos do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento (FTI) para que o cartão social pudesse ser de um valor maior e também ter um alcance maior de beneficiados.

“Aqui, na Assembleia, eu defendi que fosse utilizado o recurso do FTI, de R$ 80 milhões, para beneficiar 400 mil famílias com o auxílio de R$ 300 para cada família, mas o Governo prefere gastar com publicidade mais de R$ 200 milhões. As prioridades do Governo ‘matam’ o povo de fome”, enfatizou Dermilson Chagas.

Prioridades do governo

Nos últimos dois anos de gestão de Wilson Lima, o Governo do Amazonas gastou com publicidade e propaganda mais de R$ 176,5 milhões em contratos com quatro empresas. Esse valor gasto com publicidade, é cinco vezes maior do que foi gasto com oxigênio no mesmo período, cerca de R$ 32,4 milhões com a única empresa que fornece o gás medicinal para o Estado, a White Martins.

“Em resumo, se o governador realmente estivesse preocupado em ajudar a população que foi afetada pela pandemia, ele não faria esses gastos absurdos. Mas, ao invés de dar dinheiro para quem realmente está necessitado, porque perdeu seu emprego, porque ficou doente ou porque ficou com sequelas terríveis da Covid-19, o Wilson Lima prefere pagar uma propaganda milionária e maquiar o seu governo desastroso para que saia um governo ‘perfeito’ nas televisões, rádios e redes sociais”, desabafou Dermilson Chagas.

No ano passado, o Radar noticiou que os contratos da SECOM foram alvo da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas. A comissão queria comparar os gastos do governo com propagandas relacionadas ao combate ao novo coronavírus e os investimentos em medidas de controle da pandemia e na linha de frente do atendimento aos pacientes com Covid-19.

(*) Com informações da assessoria