Wilson vai pedir que TCE suspenda as licitações irregulares do Governo

O governador eleito, Wilson Lima (PSC), determinou que a equipe de transição do Governo dê entrada no Tribunal de Contas do Estado (TCE) pedindo a suspensão dos processos licitatórios irregulares que estão em andamento pelo Governo Amazonino Mendes (PDT).

A principal motivação foi a licitação de serviços de digitalização feita pela Agência de Fomento do Amazonas (Afeam), no valor de R$ 9 milhões – 10% do orçamento da Afeam – mesmo depois da comissão de transição ter pedido o cancelamento do procedimento licitatório.

“A situação na Afeam é criminosa. Não há o mínimo respeito com o bem público e não vamos permitir que situações semelhantes aconteçam. Por isso, nosso pedido é para paralisar tudo o que esteja irregular para proteger o patrimônio e assegurar que os investimentos sejam feitos de maneira adequada”, afirmou o governador eleito.

Interesse

O ex-presidente da Afeam, Luiz José da Silva Fernandes, suspendeu o contrato de digitalização, seguindo pedido da comissão de transição. Mas assim que tomou conhecimento do fato, Iolane Machado, que atua na instituição sem legitimidade, procurou o Governo, e decidiu destituir Luiz José do cargo, o que tornaria nulo ato dele.

Às 16h de ontem, numa assembleia extraordinária, os acionistas da Afeam decidiram colocar na presidência Ana Lucia de Oliveira Almeida e, desta forma, manter a validade do contrato de digitalização.

Iolane Machado, que age na Afeam como presidente, comandando a instituição, não é e nem pode ser oficialmente nomeada. Em duas consultas feitas ao Banco Central ela teve o nome reprovado, o que é condição primeira para assumir direção de agências de crédito, que é o caso da Afeam.

Com informações da assessoria do governador eleito.