Zé Ricardo critica operação da PF por não identificar criminosos no Rio Madeira

O parlamentar pede que a investigação descubra quem está financiando o garimpo ilegal

“Após duas semanas sugando o leito do rio Madeira e despejando mercúrio na água, há notícias de que as centenas de balsas do garimpo ilegal deixaram a região próxima ao município de Autazes (AM), sem serem localizadas e identificadas. Apesar de terem saído, ainda conseguiram realizar muita extração de ouro, poluindo a área”, disse o deputado federal Zé Ricardo(PT).

O parlamentar criticou a Operação da Polícia Federal que aconteceu ontem (27) no município de Autazes (distante 111 km de Manaus), que resultou na apreensão de 15 balsas, algumas delas queimadas no meio do rio, promovendo poluição e sem responder quem são os responsáveis por tudo isso

“Que tipo de operação é essa, que não identificou ninguém e não localizou as demais balsas. Para onde foram?”, questionou o parlamentar.

O deputado anunciou também que denunciou justamente à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal essa situação no rio Madeira e solicitou uma investigação para saber quem está financiando os equipamentos de extração de minério. Além disso o parlamentar pede que a investigação descubra para onde estão indo essas balsas, afinal de contas são 300, que não podem aparecer e sumir dessa forma, de uma hora para outra, sem ajuda de alguém.

“O vice-presidente da República, Mourão, afirmou que é trabalho do narcotráfico, mas suspeito que tenha envolvimento de servidores públicos. E vamos lembrar que em julho o secretário executivo da Secretaria de Inteligência e mais alguns policiais foram presos na Operação Ouro Urbano. Eles usavam a estrutura da Secretaria para seguir os garimpeiros e roubar o ouro”, concluiu Zé Ricardo.

(*) Com informações da assessoria