Anúncio

ZFM e um alerta que apavora

Da tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) um alerta feito por quem entende do assunto, tanto da economia do País quanto do modelo Zona Franca de Manaus, faz dar frio na barriga e aperto no peito. “Desde a campanha eleitoral de 2018, disse isso (fim da Zona Franca de Manaus no governo de Bolsonaro) de forma clara e fui linchado nas redes sociais. Pois eu reitero agora, o plano do Governo Federal é acabar com a Zona Franca de Manaus. Isso está muito claro”, disse em alto e bom som o deputado estadual, economista e auditor fiscal, Serafim Corrêa (PSB).

Serafim disse isso após trazer para a tribuna declarações feitas, em entrevista dada à revista Exame, nessa quarta-feira (19), pelo secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia do Governo do presidente Bolsonaro, Marcos Troyjo.

Serafim leu parte da entrevista para seus colegas de Parlamento, onde Troyjo assume o mesmo discurso já feito anteriormente pelo Ministro da Economia de Bolsonaro, Paulo Guedes, falando contra a Zona Franca de Manaus e a política de incentivo fiscais. Segundo Troyjo é “pouco produtivo” criar incentivos para a indústria nacional sem acordo com os compradores de peso.

Serafim leu um trecho da entrevista à revista Exame, onde o secretário extraordinário do governo de Bolsonaro se reporta diretamente à ZFM: “China e Coreia do Sul tiveram acordos preferenciais com os Estados Unidos. Não adianta fazer uma zona de incentivos, como a Zona Franca de Manaus, sem garantir o acesso a um grande mercado. Os benefícios em troca dos incentivos são pequenos” – milhares de empregos significam “benefícios pequenos” é secretário?

“O que ele quer dizer com isso”, diz Serafim, traduzindo as palavras do economês ditas por Troyjo: “Ele quer dizer o seguinte, arrumem outra coisa pra fazer porque nós vamos reduzir o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Nós vamos até aproveitar a reforma tributária e extinguir o IPI”.

A redução do IPI, explica Serafim, significa o fim da Zona Franca de Manaus. “O que o atual Governo está fazendo? Ele está reduzindo as alíquotas de IPI, na hora que ele reduz as alíquotas de IPI, nós não temos como competir com artigos importados de países como China e Índia, por exemplo”.

Segundo Serafim, apesar de estarmos às vésperas do Carnaval, as máscaras caíram e não cola mais o discurso mentiroso de respeito à Zona Franca de Manaus. “As máscaras estão caindo. Está ficando claro quem está fazendo jogo de quem. O jogo do Governo Federal é um jogo equivocado. Eles não têm consciência do que é a Amazônia. Eles nunca leram nada sobre a maldição de Tordesilhas. Eles não têm ideia do que seria Manaus sem a Zona Franca, do que seria da Amazônia Ocidental sem a Zona Franca de Manaus”, critica Serafim, ao mesmo tempo prevendo o caos no Estado e na região, caso a ZFM seja abruptamente extinta.

“E se essa canoa for pro fundo, vai todo mundo, num escapa ninguém, não escapa Governo do Estado, prefeitura, Poder Judiciário, Defensoria Pública…não escapa ninguém, vai todo mundo de águas abaixo”, diz Serafim, num alerta que amedronta. Para ele, agora só nos resta união e luta.